_NOSCRIPT

Portal do Governo Brasileiro
canal-ciencia

Busca Avançada

Os benefícios do suco de uva para a vida do idoso

O que é a pesquisa?

O oxigênio presente no nosso organismo produz estruturas chamadas de radicais livres que, em grande quantidade, são prejudiciais à saúde, provocando a morte das células. O organismo possui maneiras de proteger as células desses radicais livres. Mas quando ocorre um fenômeno chamado de estresse oxidativo, caracterizado pela produção excessiva de radicais livres, a proteção natural contra eles torna-se deficiente e o organismo fica susceptível ao envelhecimento precoce (decorrente da morte das células) e ao desenvolvimento de distúrbios cardiovasculares, de certos tipos de câncer e de doenças degenerativas do sistema nervoso, que comprometem funções cognitivas – atenção, percepção, memória, raciocínio, pensamento e linguagem –, como Alzheimer e Parkinson. O estresse oxidativo pode ser agravado por processos inflamatórios, consumo de bebidas alcoólicas e cigarros, alimentação pouco diversificada, falta de atividade física e de descanso.

Já os antioxidantes são substâncias capazes de eliminar os radicais livres, aumentando a proteção das células. Podem ser produzidos no próprio organismo ou obtidos por meio da alimentação. A ingestão de alimentos com propriedade antioxidante – como frutas cítricas ricas em vitaminas C, betacarotenos (encontrados na cenoura e beterraba) e micronutrientes como o selênio (presente na castanha do Brasil) – contribui para a redução do estresse oxidativo. A uva é tida como fonte de benefícios à saúde, muitos deles relacionados aos polifenóis, compostos com reconhecida ação antioxidante. Já existem alguns estudos no Brasil sobre o potencial antioxidante do suco de uva integral, porém nenhuma pesquisa sobre esse potencial direcionado especificamente aos idosos saudáveis. Assim, a pesquisadora Caroline Dani, do Centro Universitário Metodista (IPA) e da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), decidiu avaliar se o consumo diário de suco de uva pode melhorar a qualidade de vida de idosos.

Como é feita a pesquisa?

A pesquisa foi realizada com um grupo de voluntários idosos saudáveis. Durante 30 dias, eles inseriram na alimentação a ingestão de 400 ml de suco de uva integral, divididos em duas porções. Antes do início da pesquisa e após os 30 dias de consumo do suco, foram tomadas as medidas de peso corporal e circunferência abdominal dos voluntários, que também passaram pelo Mini Exame do Estado Mental (MEEM) e teste da mobilidade funcional (Timed Up & Go). Foram coletadas amostras de sangue para testes bioquímicos e esfoliação da camada interna bucal para extração e análise de alterações das células epiteliais.

MEEM, também conhecido como Teste de Folstein, é comumente utilizado para avaliar a função cognitiva. É rápido e de fácil aplicação, não requerendo material específico. O teste, um breve questionário que pode ser respondido em 10 min, avalia orientação espacial, temporal, memória imediata, recordação, capacidade de cálculo, repetição, compreensão, escrita e cópia de desenho. Já o Timed Up & Go (TUG) avalia velocidade, agilidade e equilíbrio. O teste consiste em levantar-se de uma cadeira, sem ajuda dos braços, andar a uma distância de três metros, dar a volta e retornar. No início do teste, o avaliado deve estar com o dorso apoiado no encosto da cadeira e, ao final, deve encostar novamente. O tempo gasto para a realização do movimento define o risco do avaliado sofrer quedas.

 

Qual a importância da pesquisa?

Os idosos que ingeriram suco de uva apresentaram redução da circunferência abdominal e do Índice de Massa Corporal (IMC) – usado como referência para avaliar se os níveis de gordura e peso estão dentro do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Mesmo sem fazer dieta, tomando dois copos (200 ml) de suco de uva por dia, os voluntários perderam peso, uma vez que os polifenóis encontrados na uva aumentam o metabolismo, reduzem a absorção de gordura e estimulam a saciedade.

Ao estratificar a idade dos voluntários idosos, em maiores e menores de 70 anos, foi possível verificar que a melhora de memória acontece em todas as faixas, sendo mais expressiva no grupo com maior faixa etária. Outro ponto positivo da pesquisa foi o bom desempenho dos idosos no exame MEEM. Exames de ressonância magnética demonstraram que a ingestão diária do suco de uva ativa diferentes regiões do cérebro, deixando viva a memória.

De maneira geral, após o consumo de suco de uva integral houve melhora dos parâmetros bioquímicos, inflamatórios e de estresse oxidativo, bem como no equilíbrio, memória e proteção às células. A ingestão do suco de uva foi associada à redução do colesterol total, da lipoproteína de baixa densidade (LDL), da gama glutamil transferase (GGT) e da ureia. Houve redução do estresse oxidativo e aumento no potencial antioxidante do plasma (FRAP). Os exames de sangue também demonstraram que os níveis de glicose e triglicérides não foram alterados pelo consumo diário do suco. As alterações no núcleo das células epiteliais da boca apresentaram diminuição em sua frequência e, finalmente, o desempenho no MEEM e no TUG aumentou, mostrando melhora no equilíbrio e na memória dos voluntários. Contudo, a ingestão de suco de uva não alterou os parâmetros inflamatórios (IL 4 e INF ϒ).

Importantes correlações foram identificadas entre todos os parâmetros avaliados e os resultados permitem concluir que o suco de uva integral (sem adição de água, açúcar ou conservantes) traz diversos benefícios à saúde do idoso, podendo ser um item importante na alimentação dessa população, sendo considerado um aliado seguro na promoção do bem-estar e saúde.

Publicado em 17 de outubro de 2016.