_NOSCRIPT

canal-ciencia

Busca Avançada

Líquens como indicadores de poluição atmosférica na cidade de Vertente do Lério (PE)

O que é a pesquisa

A poluição do ar é considerada hoje um dos grandes problemas que atinge a humanidade, com consequências significativas sobre o meio ambiente e a saúde da população. Durante a dispersão do ar, os poluentes encontrados estão, geralmente, sob a forma de material particulado que podem ser facilmente absorvidos pelo sistema respiratório do homem. Material particulado em suspensão (MPS) é um termo utilizado para grande número de substâncias encontradas no ar.

Nas cidades, os processos industriais, a queima de combustível e o transporte consistem as principais causas das fontes de partículas em suspensão no ar. Na atmosfera da Terra, esses poluentes podem ser monitorados por meio de aparelhos físicos, ou, de organismos vivos conhecidos como biomonitores.

A morfologia dos liquens possibilita seu uso como biomonitor atmosférico. Liquens são seres vivos, que provém da interação de fungos com algas, encontrados nas várias regiões do Planeta e expostos a diversos tipos de clima. Esses organismos, cuja nutrição absorve a umidade do ar e, devido às suas características físicas, incorporam facilmente os poluentes em circulação, retém do ar elementos radioativos e íons metálicos.

Considerando as diversas fontes de material particulado que poluem o ar, o estudo - desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal Rural de Pernambuco e da Universidade Federal de Pernambuco - analisa as alterações fisiológicas ocorridas em Cladonia verticillaris (Raddi) Fr., (liquens) após um período de exposição ao ambiente de áreas com emissores de poluentes, e, avalia a eficiência da espécie como um biomonitor da qualidade ambiental. Em Vertente do Lério, local onde foi realizada a pesquisa, a poluição atmosférica é provocada por minas e indústrias de calcário, visto que essa cidade do agreste pernambucano tem como maior riqueza a exploração da rocha calcária.

Como é feita a pesquisa

 Para a realização do trabalho foi utilizado o líquen Cladonia verticillaris (Raddi) Fr. (líquen), proveniente de uma área de cerrado na Serra da Prata, município de Saloá - PE, onde não há fontes potenciais de poluentes atmosféricos, porque está localizada a uma altitude superior a 1000 metros e, afastada de áreas urbanas e rodovias.

As amostras foram colocadas à temperatura ambiente(28 ± 3º C), até a realização dos experimentos. Uma parte foi destinada à identificação segundo características morfológicas e químicas do talo, e depositada no Herbário UFP, da Universidade Federal de Pernambuco.

As demais amostras de liquens foram transplantadas para a área de estudo e acondicionadas em sacolas de papel. Amostras do solo ocorrente abaixo dos tufos liquênicos, também, foram coletadas para a montagem dos experimentos. Neles, os liquens foram colocados em recipientes plásticos recobertos com redes protetoras de nylon.

Após essa etapa, o material foi exposto ao ambiente, em sete pontos estratégicos, denominados de P1 a P7, tomando como base o emitente dos poluentes - uma das indústrias de beneficiamento de calcário. Assim, P1 é a residência situada a 1 km dessa indústria e próxima às minas; P2 é a delegacia localizada à frente da indústria; P3 constitui o ponto dentro do pátio, de descarrego da indústria; P4 é a residência identificada atrás do ponto de emissão; P5 é o sítio localizado a 2 km do emitente; P6 é a residência no centro da cidade; P7 consiste na residência fora da cidade (ponto controle). Além da influência do emitente, foi considerada a direção predominante dos ventos, supondo ser essa a via principal de dispersão dos contaminantes.

A coleta realizada mensalmente, de junho a dezembro de 2006, garantiu que as amostras fossem expostas tanto nos períodos seco como no chuvoso do ano. De cada uma delas, foi retirada uma amostra do líquen (5g) e encaminhada ao laboratório para extração e análise das substâncias liquênicas produzidas.

A Cromatografia de Camada Delgada (CCD) foi realizada com extratos orgânicos obtidos a frio com éter etílico, seguido de clorofórmio e uma terceira extração com acetona, evaporados à temperatura ambiente. As substâncias extraídas foram aplicadas em cromatoplaca de sílica gel com padrões de atranorina (ATR) e do ácido fumarprotocetrárico (FUM) sendo, posteriormente, submetidos a um sistema unidimensional de solventes. As placas foram reveladas sob a luz UV curta e longa e, em seguida, pulverizadas com ácido sulfúrico a 10% e aquecidas em estufa a 100ºC por 1 hora, para obtenção da coloração das bandas.

Importância da pesquisa

 Os biomonitores em relação aos aparelhos físicos, por minimizarem os custos das pesquisas, têm sido utilizados em áreas potencialmente poluídas, nas regiões com baixo poder aquisitivo do país, tanto para determinar as modificações ocorridas no ambiente, quanto para estimar o efeito do impacto da indústria na saúde pública.

A espécie estudada demonstrou ser um excelente biomonitor indicando, de maneira adequada, as alterações vivenciadas pelo ambiente, proveniente da exposição de substância poluidora de origem antropogênica.

No município de Vertente do Lério ficou evidenciada a ação de contaminantes atmosféricos que vem da mineração e industrialização do calcário. Os efeitos da poluição atmosférica são flagrantes na agressão e nas alterações fisiológicas da produção dos fenóis liquênicos, conforme os vários níveis de concentração encontrados nos liquens dos pontos de emissão de particulados.

As vantagens do método - científico-tecnológico e econômico-social -, quanto ao uso de liquens para determinar a poluição atmosférica por calcário, ficam evidenciadas na pesquisa. A importância do biomonitoramento esteve em avaliar a correlação dos dados estatísticos médicos com o teor de poluentes na atmosfera e a reação humana às substâncias encontradas no ar.

Texto de divulgação científica publicado em 17 de agosto de 2007.